Sunday, April 22, 2012

Empurre a vaca do barranco...

Anos atrás eu recebi um email com um texto motivacional que contava a história de um monge budista e seu discípulo que, passando por um vilarejo encontraram guarida na casa de uma família muito pobre. Todo o sustento dessa família vinha de uma velha vaca leiteira. Parte do leite era consumida, a outra parte comercializada. Se não fosse aquela vaquinha a família morreria de fome. O monge e seu discípulo beberam o leite oferecido e dormiram num quartinho que lhes foi destinado... No dia seguinte deixaram a casa muito cedo, bem antes da família se acordar. Ao passar pela vaca o Mestre mandou que o discípulo empurrasse a bichinha do barranco. Com grande pesar e sem concordar com a atitude do Mestre o rapaz obedeceu. No entanto sua consciência não o deixou em paz por anos e, logo após a morte do seu Mestre, decidiu retornar ao vilarejo e consertar o malfeito. Qual não foi sua surpresa ao encontrar uma mansão no lugar do antigo casebre e saber que a morte da vaca obrigou a família pobre a buscar alternativas, o que acabou por torná-los ricos comerciantes...

Eu cheguei a utilizar esse conto numa capacitação que dei a professoras da Educação Infantil... Só nunca pensei que um dia esse texto faria tanto sentido na minha vida...

A gente nem se dá conta, mas vivemos todos amarrados a certas vaquinhas... É a velha e boa zona de conforto. Nos acomodamos com o habitual e paramos de querer mais, de buscar mais...

Nos apegamos a dores passadas com medo de correr o risco de encarar novas dores e aí perdemos maravilhosos momentos de felicidade... Nos entregamos ao conforto do emprego mediano, mas certo, com medo de nos arriscar em saltos mais altos e deixamos de desenvolver por completo nosso potencial... Nos afogamos em uma relação conflituosa e fracassada por medo de ficar sozinhos e perdemos a chance de encontrar um novo amor, verdadeiro, por inteiro....Nós nos agarramos à nossa zona de conforto como se esta fosse uma âncora, atracada ao cais do porto e perdemos, sem sequer nos darmos conta, toda beleza e emoção do mar aberto...

E dia desses, aproveitando a correnteza, eu me soltei do cais, puxei minha âncora e decidi enfrentar o mar bravio... Saí do lugar comum, larguei a comodidade daquilo que era seguro sem ser satisfatório e me permiti sonhar novos sonhos... Empurrei minha vaquinha do barranco e mudei o rumo de minha caminhada...

Foi muito difícil, não vou mentir... Foi doloroso demais... sacrificante demais... no percurso, por vezes, tive vontade de desistir e voltar atrás... Não fosse a imensa fé que tenho em mim mesma e o apoio daqueles que amo eu, realmente, não teria conseguido... Mas, definitivamente, se eu não tivesse dado o primeiro passo ainda estaria lá, naquele cais cinza, frustrada e insatisfeita, me transformando numa pessoa infeliz...

O caso é que acabei chegando onde queria chegar e, se houve ônus - e eu paguei pela minha escolha com sangue e lágrimas - há agora o bônus... Sim, me sinto feliz e realizada... Olho pra trás, pros momentos mais difíceis, pras lágrimas de impaciência de desesperança, pros momentos de fraqueza, de vontade de desistir e voltar atrás e digo: VALEU A PENA TER PERSERVERADO!!!

Ainda não cheguei aonde chegarei em breve... o caminho é longo e a caminhada apenas começou... Mas já consolidei minha primeira vitória... Uma vitória grande e feliz, que me deixa na boca um gosto bom de trabalho cumprido, meta alcançada... E essa é uma sensação que se expande pra todos os âmbitos de minha vida... Ganhei, consequentemente, um humor menos oscilante, um coração tranquilo, uma paciência que nunca tive e essa felicidade que me guia mesmo nos momentos de tristeza...

É a satisfação de saber que você é capaz, que segura o leme do navio da vida, que escolhe seu caminho por vontade e não se deixa simplesmente levar pela vida...

É uma sensação que só conhecerão aqueles que tiverem força e fé suficientes pra empurrar a vaquinha do barranco e buscar outras oportuidades... É estar viva... e não se negar à vida...

Sim, eu estou feliz!!!

P.S.
Dedico esse post e minha felicidade aos amores de minha vida, que me apoiaram a cada passo... e continuam me apoiando e cada pequena conquista: meu filho lindo, Lion Vitor; minha irmã maravilhosa, Martha Neto e meu cunhado querido, Júnior... Obrigada a vocês pelo amor e apoio... Amo os três!!!

1 comment:

Unknown said...

...e continue contando comigo SEMPRE! Também te amo!