Tuesday, October 12, 2010

Minha vida tem trilha sonora, sim senhor...

Como na vida da maioria das pessoas, na minha também, certas músicas casam direitinho com as situações vividas... Principalmente quando o assunto é amor... E eu sempre amei demais, inteiramente, completamente, desvairadamente... E assim evoluiu a trilha sonora de minha vida:

Aos 15 anos me apaixonei pelo Flávio, o primeiro canalha de minha vida... Endless love era nossa música...

“My love
there’s only you in my life
the only thing that’s right”

Mas aí Flávio me trocou por uma gordinha, colega minha, dá pra crer? E a música mudou... Eu cantava pra ele:

Você me trocou por uma ‘gorda’
Agora você quer mais é que eu morra...
O que é que ela tem que eu não tenho?

Aff... O primeiro amor é sempre o que rende mais e eu sofri anos por esse garoto... Até que conheci o Marquinhos e me apaixonei novamente... Foi quando Chico Buarque entrou na minha trilha sonora... Eu olhava o Flávio e cantava pra ele:

Olhos nos olhos
Quero ver o que você faz
Ao sentir que sem você
Eu passo bem demais...

E Marquinhos foi o segundo canalha da minha vida (como a maioria das mulheres eu já nasci com essa estranha fixação pelos canalhas... ADOOOOOOORO!!!) O relacionamento da gente era muito louco... Um vai vem da gota serena... E ainda tinha uma namorada dele que morava no Rio... Ele me fez muito feliz, mas me fez sofrer muito também...

Agora aguente coração
Você não tem mais salvação
Eu te falei que eu tinha medo
Amar não é nenhum brinquedo

O tempo passou, eu mudei de cidade, conheci outro garoto, todo certinho, certinho demais... daí eu larguei ele pra namorar um cabeludo, poeta e maconheiro que conheci na faculdade... E lá vem Chico Buarque denovo:

O terceiro me chegou
Como quem chega do nada
Ele não me trouxe nada
Também nada perguntou
Mal sei como ele se chama
Mas entendo o que ele quer
Se deitou na minha cama
E me chama de mulher...

Mas o maluco beleza, não me dava muita importância não... E eu tenho essa estranha mania de me achar importante demais pra não ser valorizada por alguém e dei-lhe um pé na bunda...

Você me tem fácil demais
Mas não parece capaz
De cuidar do que possui

Mandei o cabeludo pastar e voltei pro moço certinho... Casamos... Tivemos filho... mas ele nunca parou de tentar me transformar na mulher ideal com a qual ele havia sonhado a vida toda e à qual não correspondia minha personalidade extravagante e luminosa (sim, faltou eu mencionar o modesta, né?)... Ele era anti-social ao extremo e queria que eu fosse também... Nesse processo, ele nunca se preocupou com meus sentimentos e me machucou muito... Até que eu não aguentei mais e deixei ele... O cara mudou de repente ficou doce, delicado e jurou me aceitar como eu era:

O que me importa seu carinho agora
Se é muito tarde para amar você
O que me importa se você me adora
Se já não há razão pra te querer
O que me importa essa tristeza em seu olhar
Se o meu olhar tem mais tristezas
Pra chorar que o seu

Terminado o casamento, reencontro um velho conhecido e começo com ele um affair... O cara em poucos meses se entocou na minha casa e na minha vida, indo embora 2 anos depois, a muito custo e deixando um belo rompo em minha conta bancária e uma grossa dívida em meus cartões de crédito...

If you
If you could get by
Try not to lie
Things wouldn’t be so confuse
And I wouldn’t feel so used
But you’re always ruining you

Foi uma queda, perceber que eu havia me apaixonado por um gigolô... Mas eu sou forte e supero logo essas coisas... A crise financeira na qual entrei depois dele é apenas um detalhe... rsrsrsrsrs... E lá vem mais um reencontro na minha vida: um antigo colega de faculdade que se dizia apaixonado por mim há mais de 10 anos... Caí feito uma menininha... Nessa época eu também acreditava em Papai Noel, fadas e gnomos... O cara botou pra lascar em mim... Quase enlouqueço... até que não aguentei mais e fui embora:

Eu bato o portão sem fazer alarde
Eu levo a carteira de identidade
Uma saideira, ‘nenhuma’ saudade
E a leve impressão de que já vou tarde

Passado algum tempo, me apaixonei denovo... O melhor, mais doce, atencioso e delicioso canalha que passou por minha vida... Ah sim, os canalhas são os melhores... E quando eu já tava caídinha pelo cidadão, ele veio me contar que tinha outra namorada... Pois é... mas eu continuei ficando com ele... e ficando... e ficando... foram anos assim: ela era a oficial e eu a oficiosa:

Ou ela ou eu
Tantas vezes pensei, ensaiei pra dizer
Mas na hora H,
Não me atrevo a falar
Pra não me arrepender
Ou ela ou eu
E a resposta que eu mais gostaria de ter
Só não faço pergunta
Pelo medo da falta que você vai fazer...

Desacreditei do amor a partir daí e decidi transformar os homens em meros brinquedinhos sexuais... Pois é, virei cachorra... Revesti meu coração com adamantium (aquele metal ultraresistente do qual é feito o esqueleto de Wolverine) e saí por aí tirando onda...

Eu só quero ficar
Não quero compromisso com ninguém, ficar
Beijar na boca não é namorar, ficar
Seu corpo é minha fonte de prazer, ficar
Só tô ficando com você...

De uns tempos pra cá tenho tentado me defender menos do amor... Quem sabe, dia desses, não aparece um cara legal, companheiro, que seja meu número, né? Não abri as portas ainda não, mas, pelo menos, já destranquei umas janelas... Já é um começo... O problema é a trilha sonora, que não ajuda... E agora mesmo, eu tô ouvindo tocar, insessantemente em minha vida, aquele sucesso da banda Tanga de Sereia (podem procurar no youtube que tá lá\):

É cada qualidade de homem que me aparece
Mulher eu vou dizer uma coisa
Ninguém merece, ninguém merece...

É, ninguém merece mesmo...

3 comments:

Ilana Trevisan said...

ADOREI seu post... qualquer hora farei um contando sobre os canalhas que tive, e não foram poucos... achei bacana que as 6 primeiras músicas eu podia usar as mesmas... como o Chico é muito bem utilizado nesses casos, hein? rsrsrsrs
Beijocas

Deco Hoppus said...

com certeza... toda fase da vida... não só de amor ou ódio tem sua trilha...

sempre tem...

a música que está na minha cabeça agora é essa do meu post...

e quando estava brigado com minha ada era patience do guns...

beijos....

Marlene'Dias said...

ADOREI!

Tens um jeito ENORME!
Fico sempre de humor quando leio um texto teu :)
Espectáculo!

Parabéns :)