Monday, September 28, 2009

Da vida, da morte e dos fios que nos seguram aqui...

A vida tá sempre por um fio... Vive-se hoje, amanhã? quem sabe... Pra morrer, basta tá vivo...

E não tem fórmula mágica, nem filosofia que prolongue sua estadia por aqui... Uma dia, de repente, você vai...

Dietas saudáveis, exercícios regulares, vida tranquila, não lhe salvarão de ser o próximo da lista, se assim tiver de ser...

Uma doença fatal, um acidente qualquer, um mal súbito... E em uma fração de segundo FOI-SE... Você já era... MORREU!!!

Não tem idde, cor da pele, ou situação financeira... A morte é a mais democrática das instituições!!!

Por isso eu prefiro viver assim, impetuosamente... visceralmente... me entregar... sofrer, sorrir... ser feliz, estar triste!!! Experimentar a totalidade de cada um dos extremos: ser santa, ser puta; ser boa, ser má; ser esperta, ser burra; beijar, morder; sorrir, chorar!!!

Amo e odeio com a mesma intensidade, num intervalo tão curto que nem dá pra entender como um sentimento se transformou no outro... O tempo urge... E eu quero sentir de tudo... Experimentar todos os petiscos da mesa!!!

É assim que gosto de viver: DE COM FORÇA"!!!

Respeitando as mesmas regras que muitas vezes quebro... Minha ânsia é poder dizer, na hora que chgar minha vez: VIVI TOTALMENTE!!! Preciso apenas da certeza de que nesse dia eu não terei um só minuto não vivido, uma só história mal-resolvida, um só pedido de perdão pendente que me prendam a este mundo... Quero partir sem lamentar...

E que se danem os que se travam diante da vida, sob o pretenso véu da virtude e da moralidade... danem-se os medíocres e os temerários!!!

É um tênue fio o que nos segura aqui... E esse fio se partirá pra todos nós, pra cada um de nós um dia... Cedo ou tarde!!! E quando o meu dia chegar, quero ir FELIZ!!!

E aí, cabe aos amigos fazer cumprir o meu mais profundo desejo:

que minhas vísceras salvem quantas vidas puderem salvar...

e que a minha carcaça presencie um último momento de boemia.

Ao redor do meu caixão eu quero 3 violões e a voz doce daqueles que amo entoando as músicas que eu gostava de ouvir e cantar... E quero cerveja gelada e uma caipirinha que, com certeza, não será tão boa quanto a que faço... E quero risos histéricos de felicidade, porque eu adoro gente feliz perto de mim... Mas também quero lágrimas de saudade, porque sei que vou fazer falta!!!

Adeus dito, eu parto... Sem lamentos, sem penas, sem amarras!!!

2 comments:

Fernando Medeiros said...

Tentando fazer poesia com uns amigos:

http://nossoaquariovirtual.blogspot.com

Deco Hoppus said...

"É melhor se arrepender do que se fez do que não ter tido a coragem de fazer (Agora é tarde - Ultraje a Rigor)"

A vida é uma só... toca o Foda-se e vá ser feliz, triste, entre todas as outras emoções, aventuras e sensações....